“De tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantar-se o poder nas mãos dos maus, o homem chega a rir-se da honra, desanimar-se de justiça e ter vergonha de ser honesto.”

Rui Barbosa

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Mau ozônio: poluição, morte lenta e invisível

Quando a necessidade do meio ambiente superar a necessidade do consumo, a importância da consciência ambiental ficará evidente no mundo.

Ivo Leite



Um inimigo invisível, incolor, inodoro, uma morte lenta para os humanos, plantas, animais, para todos os seres viventes, uma qualidade de vida cada vez pior, principalmente nas grandes cidades.

O índice de poluição do ar só aumentando e pouca coisa ou quase nada sendo feita por todos nós.

Soluções existem, mas esbarram em grandes interesses financeiros, dizer que não há tecnologia para resolver o problema é hipocrisia.

A conscientização do ser humano, o carro movido à energia elétrica, à própria energia solar, combustíveis não poluentes, a retirada dos carros poluentes das ruas, dos carros antigos, a péssima qualidade dos combustíveis aliado ainda à má fé dos postos que ainda o adulteram e mais um monte de coisas; falta coragem, boa vontade e principalmente honestidade para combater esse problema.

E o vilão não é apenas o automóvel, as indústrias que jogam todo tipo de poluente no meio ambiente sem controle ou fiscalização alguma, essa tal de ISO 14000 que é só no papel que funciona, todas as empresas em que trabalhei eram avisadas com antecedência das vistorias e tomavam as medidas necessárias para não serem notificadas, após a fiscalização voltava tudo como antes, até é claro, a próxima fiscalização, é tudo combinado, esse país é uma vergonha, o ser humano é uma vergonha.

E foda-se.

Fernando Rocha

Fotos Google:










Troca de Links - Ocioso

Postagens Populares Mãe Terra

Distante dos olhos, tão perto de mim...